Fechar menu

Palestina. Terra santa, Terra destruída

Artigo de opinião de Miguel Martins, Deputado Municipal do Bloco de Esquerda

Os ataques de outubro de 2023, organizados pelo Hamas, foram utilizados pelo Governo de Israel como razão para a operação militar que o seu Exército pôs em curso desde então. Alegando a defesa e proteção do seu país, o Exército israelita invadiu a faixa de Gaza, destruindo tudo e todos que ali habitavam num “contra-ataque”. A justificação para estes atos? Pôr fim à atividade do Hamas. A realidade? Continuar o processo de genocídio que o povo palestiniano sofre às mãos do Estado sionista e assassino de Israel há já mais de 75 anos.

Conteúdo reservado a assinantes

Assine o jornal e tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos bem como a edição em PDF conortavelmente no seu pc.

Para assinar faça login com a sua conta na àrea reservada deste site, ou clique AQUI para se registar.

Se já tiver uma assinatura em vigor, após fazer login com a sua conta terá acesso a todos os conteúdos.

Caso, após o login efectuado, ainda não tiver uma assinatura válida, poderá clicar no botão abaixo para assinar e desbloquear assim todos os conteúdos do site.

Assinar o Jornal

Opinião

Miguel Martins
09 de Mai de 2024 0

Outras artigos

desenvolvido por aznegocios.pt